Processo Administrativo à Perda de Vículo Institucional

A FAU está procedendo, a partir de lista gerada pelo SISCA — Sistema de Controle Acadêmico —, a análise dos casos de alunos passíveis de Processo Administrativo à Perda de Vículo Institucional.
O sistema listou os “Alunos que não renovaram Matrícula” na FAU/UFPA; dentre eles há diversas circunstâncias onde, de acordo com a Resolução 580/1992-CONSEP — norma que regeu a graduação até a publicação da Resolução 3633/2008-CONSEPE —, o tempo máximo de permanência discente no curso de Arquitetura e Urbanismo da UFPA já extrapolou.
A comissão que analisa tais situações elaborará parecer e lista à apreciação na reunião do Conselho da FAU, dia 11 de novembro próximo, e, a partir da deliberação colegiada, os Processos Administrativos à Perda do Vínculo Institucional serão instaurados individualmente conforme a Instrução Normativa Nº01/2009-PROEG.
Os estudantes que estiverem listados no PDF abaixo, favor comparecer à secretaria da FAU e falar com a técnica-administrativa Eulália Freitas Carmo.

Alunos da FAU que NÃO renovaram matrícula – PDF.

Instrução Normativa Nº01/2009-PROEG — PDF.

ANEXOS da Instrução Normativa Nº01/2009-PROEG — PDF.

O orgânico cenário urbano

Imagens da obra do (2º) prolongamento da avenida 1° de Dezembro (ou João Paulo II) feitas em maio de 2008:

Divulgação: AMAZÔNIA DOC. FESTIVAL PAN-AMAZÔNICO DE CINEMA

De 03 a 07 de novembro de 2010. Belém-PA.

“Glossário audiovisual” à palestra Habitação Social em Áreas Centrais: o Caso de São Paulo

Retiramos do Youtube alguns vídeos baseados  nas informações contidas na palestra da professora Roberta Menezes Rodrigues:
 

Infelizmente Dia de Festa não está disponível à incorporação em nehum site de armazenagem.
Esperamos que o material acima subsidie a fixação do aprendizado.

SAM BAND

Ontem, por volta das 18 horas, rololou a apresentação da SAM BAND, defronte ao Ateliê de Arquitetura e Urbanismo.
A apresentação do conjunto da Escola de Música da UFPA, que nada teve a ver com a SITEC e sim com 37° ENARTE, propiciou uma atmosfera musical ao luar à beira do Guamá; pena que a curta apresentação foi pouco prestigiada pela comunidade universitária, dispersa entre o Forró do Vadião e outra apresentação musical no Básico.
Finalizada a Semana do ITEC, a que vem traz de volta o ritmo normal de aulas no Ateliê.

Categorias
Administração

Takes da palestra proferida por Roberta Rodrigues

Habitação Social em Áreas Centrais: o Caso de São Paulo foi apresentada em dois momentos do dia 22 de outubro de 2010: manha (10h) e tarde (16h).
A frequência matutina foi bastante superior a vespertina, aqui registrada em alguns momentos; a segunda sessão foi realizada para não prejudicar os alunos que têm estágio pela manhã.
A conferência foi ilustrada pelo documentário Dia de Festa.

Oficina de preparação e uso das tintas Verbras

Palestra “Habitação Social em Áreas Centrais: o Caso de São Paulo”

Amanhã, às 10 e às 16 horas, teremos a palestra Habitação Social em Áreas Centrais: o Caso de São Paulo, a ser proferida pela professora Roberta Menezes Rodrigues, fruto de sua pesquisa de pós-doutorado na USP — Universidade de São Paulo.
Haverá a apresentação do documentário Dia de Festa, de Toni Ventura e Pablo Georgieff, que mostra o processo de ocupação de prédios vazios no centro de São Paulo por Movimentos de Moradia, através do olhar de 4 mulheres.
Local: Auditório Daniel Campbell do Ateliê de Arquitetura do Campus do Guamá.
O evento faz parte da SITEC e é aberto ao público externo à UFPA.
Imperdível!!!

Visita ao conjunto residencial Comunidade Liberdade


Registros da visita técnica ao conjunto residencial Comunidade Liberdade monitorada pelos arquitetos e urbanistas José Maria Coelho Bassalo e Luiz Fernando de Almeida Freitas.
A atividade fez parte da Semana do ITEC; saiba mais sobre o Comunidade Liberdade em Memorias da Meia Dois Nove e na CO.OPERA.ATIVA.

Imagens da Avenida (Marginal) Tucunduba feitas em junho de 2008:

Vista aérea da área antes da implementação das obras do Comunidade Liberdade (data indefinida).
Leia um “Estudo de Caso 2003 TUCUNDUBA Urbanização do Igarapé Tucunduba Gestão de Rios Urbanos“; Prêmio Caixa Melhores Práticas em Gestão Local.

Ivan Brasil — as primeiras publicações na UFPA

ATENÇÃO: em 0:58/9:58 entenda-se 63 e não 93 dos anos 1900; a confusão se deu pelo fato da pioneira publicação, de 1963, possuir 93 páginas.
“O feitiço na literatura, na arte e na vida”; de Inocêncio Machado Coelho; é o marco da impressão gráfica na UFPA, posto à luz da leitura na noite de 27 de abril de 1963 na Academia Paraense de Letras.



O vídeo, aqui postado em 04 (quatro) partes, foi feito ontem, dia 19 de outubro, terça-feira, nas dependências da sala nº08 do Ateliê de Arquitetura e Urbanismo.
O “zumbido” ao fundo do áudo é do split.

Hélio Veríssimo — do Mestre, com carinho:

Pedimos desculpas ao nosso Amado Mestre — naturalmente em versais —, Hélio Veríssimo, pela falta de qualidade técnica na gravação de sua palestra proferida no primeiro dia da Semana do Instituto de Tecnologia da UFPA no auditório Daniel Campbell da FAU.
Como o registro fora inusitado não houve preparação mínima que evitasse a instabilidade da câmara e a invasão de sons alheios.
É projeto do Blog da FAU providenciar equipamentos que reduzam tais inconvenientes, entretanto, não temos “receio de errar”, “reconhecer o erro, evidentemente, e corrigi-lo”; o que nos importa é o aproveitamento de raras oportunidades como a aqui postada em três partes perfazendo um total de 33 minutos e 31 segundos de “heroismo”.

FAU no SITEC 2010: resumo da manhã (18/10/2010)

Panorama da semiótica de Platão a Peirce By Winfried Nöth

Completo em PDF:

Panorama da Semiótica de Platão a Peirce [pg. 01 a 77] – NÖTH, Winfried

Panorama da Semiótica de Platão a Peirce [pg. 78 a 148] – NÖTH, Winfried

Metropolis

Metropolis (1926) é um filme de Fritz Lang em versão sonorizada  (1984) por Giorgio Moroder.

(Um cão andaluz.)

Um filme de Luis Buñel e Salvador Dali (1928).

Frida Kahlo

Programação da FAU no SITEC

JPEG ampliável.

Programação completa SITEC 2010 FAU-UFPA em PDF.

 

Francis Bacon

Feira do Vestibular 2010

Nossos agradecimentos aos heróis e heroínas que suportaram o indefectível calor dos estandes. 
Nas fotos as bolsistas Mônica e Nayara explicam ao público o que é e como funciona o curso de Arquitetura e Urbanismo da UFPA.
A estrutura da Feira do Vestibular 2010 deixou muito a desejar em atrativos aos expositores que, desconfortados pela alta temperatura interna do “circo” (sob lonas sintéticas), reduziram suas atividades.
Barracas de campanha das Forças Armadas, junto à boa localização, resolveriam esses “probleminhas” térmicos e visuais; remunerar os estudantes envolvidos decerto “profissionalizaria” o evento.
Perdeu-se uma oportunidade vitrinal ao exercício do “politicamente correto” ecologismo, nele incluído o humano.

CARTA DE UM PROFESSOR DOENTE A PROPÓSITO DO SISTEMA CAPES/CNPq/MEC/MCT. ETC


Estou doente…
Produzo mais papéis e máquinas e menos seres humanos, indivíduos! A nossa era se chama “PRODUÇÃO CIENTÍFICA”…
Quanto? Preciso estar “on line” e ligado 24 horas para produzir: 5 artigos por ano, pelo menos 1 Qualis A e os demais podem ser A2, B1 ou B2, mas o resto não interessa; pelo menos 1 livro e um capítulo de livro por ano.
Ah! Não posso esquecer das comunicações em eventos! Devem ser preferencialmente trabalhos completos, publicados nos anais em Congressos Internacionais porque os resumos expandidos e os simples não contam nada na nossa avaliação. E se forem em eventos regionais ou locais menos ainda.
Devo participar de 2 Programas de Mestrado como efetivo e um terceiro como Colaborador.
Devo ministrar 4 ou 5 disciplinas na Graduação, ou se não for assim preciso ter 4 ou 5 turmas, com pelo menos 50 vagas ofertadas para ministrá-las. Muitas das vezes, em espaços que comportariam muito menos… Quantos créditos: 12, 16, 20 ou 24 por semestre?
Devo ministrar também 1 ou 2 disciplinas na Pós-Graduação. Preciso orientar os trabalhos de conclusão de curso (4 ou 5, às vezes só um pouco mais por semestre). Preciso orientar pelos menos dois estudantes de Mestrado por ano… Ah! Eles precisam defender suas dissertações em 24 meses… O ideal já seria defender em 18 meses! E os Co-orientados? Quantos?
Tenho ainda os estágios, os projetos de fomento e de PIBIC. Ainda faltam as comissões e os cargos administrativos!
Precisamos de mais cursos, mais disciplinas e mais estudantes, mais cargos e mais comissões… Assim, ganhamos mais TRABALHO e temos menos VIDA. Meu tempo está acabando… O dia é muito curto e as 24 horas já não me são mais suficientes.
Que tal repensarmos o nosso Calendário? O dia poderia ser um pouco maior e o ano poderia ter mais alguns meses… Puxa! Como seria feliz por isto… PODERIA TRABALHAR MAIS! Muito mais, pois ainda preciso ser bolsista de produtividade. Quero também ser pesquisador!
Antigamente, o Professor era Senhor ou Senhora, um segundo pai ou uma segunda mãe, um tio ou uma tia. Era também um EDUCADOR. Um erudito e um verdadeiro HERÓI. Hoje o professor “brother”, “chapa”, “meu”, “brô” e “véio”, entre outros… Muitos outros!
O bom é que temos mais professores. Muito mais! Por outro lado, temos menos salas e dividimos os nossos 15m2 (chamado gabinete) com mais 3 ou 4 e todos os seus orientandos também. Pelo menos não posso reclamar de solidão no trabalho, nem de monotonia. A vida de Professor é pura agitação… Altas baladas como dizem.
Meu dia de trabalho terminou na Instituição… A jornada de trabalho de um celetista é de 44 horas por semana, com tendência natural de reduzi-la. E a nossa de professor? Isto é muito pouco!
Além da nossa rotina diária, ao chegarmos em casa precisamos continuar TRABALHANDO! Tem as correções de provas, aulas e notas de aulas para serem preparadas, seminários, palestras, etc.. Ou melhor, fazer invencionices para melhorarmos a nossa performance para nossos estudantes.
As aulas não são mais atrativas… Eles dizem: melhor seria estar com a Galera ou a Turma… Atender celular, passar minhas mensagens, jogar meus novos games do celular, msn, orkut, facebook, mostrar meu aparelho de celular novinho … Tem muito mais opções! Perder tempo com estas aulas? Que tédio! Tudo está na Internet mesmo.
Esqueci da elaboração dos projetos! Preciso de recursos financeiros para realizar alguns trabalhos e o prazo se encerra amanhã. Ainda bem que o envio é on line. O sistema, hoje em dia, em alguns editais recebem até 24 horas depois… UFA! Vai dar tempo.
Aqueles que precisam da nossa atenção em casa: mãe, pai, esposa, marido, filha, filho, neta, neto, noiva, noivo, namorada, namorado… Gato, cachorro, peixe, papagaio, periquito… etc? ELES PODEM ESPERAR!
E as minhas necessidades: físicas e fisiológicas? E o meu lazer e meu prazer? Confesso que às vezes me sobra um tempinho para isto tudo, apesar de serem atividades menos nobres.
Preciso dormir, mas tenho que TRABALHAR! Preciso acordar, antes de dormir. Estou doente! Não tenho tempo de ir ao médio… Depois vejo isto! Estou gravemente doente, mas não posso me curar. Preciso TRABALHAR e PRODUZIR mais papéis (textos, livros, artigos, relatórios, etc…). Meu CURRÍCULO LATTES está desatualizado!
Tenho que produzir mais máquinas também, pois o mercado assim exige.
Fico triste no final. A maior parte de toda a minha produção permanece intocável e, na maioria das vezes, enfeitando estantes e gavetas. Poucos realmente lêem aquilo que é fruto de uma vida inteira de total entrega ao sistema. Ou no caso das máquinas, algumas ficam sem emprego.
Ah! Eu não posso me queixar, pois apesar desta pequena carga de trabalho tenho um bom salário.
“Não sois máquinas! Homens é o que sois” é uma famosa frase de Charles Chaplin, ou ainda “O que somos é conseqüência do que pensamos” de Buda. Acredito que isto é coisa do passado… Está fora de moda!
Podemos ver que a geração atual não os conhece, pois seus mais recentes ídolos e sua identidade são diferentes: “Exterminador do Futuro – Arnold Schwarzenegger”, “Rambo – Sylvester tallone”, “Indiana Jones – Harrison Ford”, “007 – Daniel Craig”, etc. Estes são os verdadeiros heróis: imbatíveis, incansáveis e imortais.
Estou doente… Gravemente doente… Incurável…
AQUI JAZ um EX-PROFESSOR que um dia sonhou ser PESQUISADOR.

Carta aberta escrita pelo Prof. Dr. Robério Anastácio Ferreira
Universidade Federal de Sergipe
Departamento de Ciências Florestais
Mestrado em Agroecossistemas
Mestrado em Ecologia e Conservação

Enviada pela pianista e professora da UFPA Valéria Cristina Marques