Divulgação

Dina Oliveira fala do Laboratório de Modelos da FAU

A professora Dina Maria César de Oliveira é coordenadora do Laboratório de Modelos Roberto de La Rocque Soares, local de ensino e experimentações que congrega as cinco disciplinas de Representação e Expressão da graduação em Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Tecnologia da UFPA.

Divulgação

Utilidade Pública

Aos que queiram evitar um engarrafamento maior que o habitual, há uma alternativa plausível para se chegar a hoje estagnada Perimetral: a travessa Vileta, continuada pela rua Muicatiara (lateral ao NPI), no sentido Primeiro de Dezembro (ou João Paulo II) / Perimentral — e seu óbvio retorno.
O trajeto está asfaltado e relativamente policiado com os Palio 1.0, mas há de se manter baixa velociade porque lá brincam  crianças  não acostumadas ao tráfego regular de veículos; também inexiste o necessário calçamento de proteção aos pedestres.
A solução encontrada pelos moradores marginais à via foi a velha lombada enjambrada com cimento e sem sinalização.
As chuvas dirão por quanto tempo esse trecho, principalmente o da Vileta, permanecerá ativo ao fluxo dos automóveis de passeio.
É fundamental observar que a confluência entre Vileta e Muicatiara é demarcada por faixas amarelas e o “pare” em branco pintados no chão nas duas esquinas; ali há uma preferencial, pelo Google Maps, a passagem Vilhena; siga esses marcos para não se perder no Montese.

As imagens são ampiáveis para melhor compreensão do traçado do caminho.

Brena recebe o Kawaguchi no CEAMAZON

Mesa solene: Takashi Nakamura, vice-presidente da Albras; Carlos Maneschy, reitor da UFPA; Maria Emília Tostes, diretora do ITEC; e Luis Jorge Nunes, diretor Industrial da Albras.

Material exclusivo do Blog da FAU.

Notícia veiculada no Portal da UFPA:

: :Albras premia melhores alunos do ITEC/UFPA

O desempenho universitário dos alunos dos cursos de Engenharia Elétrica, Mecânica, Química e da Computação, do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará (ITEC/UFPA) foi reconhecido com o Prêmio Kawaguchi, concedido aos melhores alunos pela Alumínio Brasileiro S.A (Albras). Gerentes e diretores da Albras, da UFPA e convidados dos premiados estiveram presentes na solenidade de entrega, que ocorreu no Centro de Excelência em Eficiência Energética da Amazônia da UFPA (Ceamazon), nesta sexta-feira, 26.

Nos últimos 22 anos, a Albras tem mantido com a Universidade este convênio, que estabelece a entrega do Prêmio Kawaguchi como instrumento de estímulo do desenvolvimento estudantil e profissional dos alunos matriculados nos cursos do ITEC que têm relação com a atividade realizada pela metalúrgica.

Para Luis Jorge Nunes, diretor Industrial da Albras, o prêmio tem o objetivo de motivar os engenheiros, profissão cada vez mais necessária para o desenvolvimento do país. “A engenharia é a arte de inovar, fundamental para qualquer nação crescer”, afirmou. Takashi Nakamura, vice-presidente da Albras, ressaltou a cooperação da universidade para a formação de recursos humanos e tecnológicos da empresa. “A UFPA foi essencial para a qualificação dos empregados da Albras”, declarou.

Parceria – A Albras e a UFPA também são parceiras em diversos projetos de pesquisa e na formação de mestres e doutores, como lembrar Maria Emília Tostes, diretora do ITEC. “A empresa cooperou para que nós tivéssemos uma formação melhor, com os alunos se empenhando para que um dia pudessem receber esse prêmio”, afirmou Maria Emília. O reitor da UFPA, Carlos Manescky, recordou a história de Isao Kawaguchi, um dos pioneiros do projeto alumínio no Pará, que dá nome ao prêmio. “Ele foi o precursor de uma das atividades socioeconômicas mais importantes do estado por ter a capacidade visionária de perceber oportunidades”, discursou Manescky.

Este ano, oito alunos dos 1º e 2º anos que obtiveram as melhores notas em 2009 e foram indicados com base em norma estabelecida por um conselho do ITEC, foram homenageados com medalhas e certificados. “O prêmio é uma ótima iniciativa para motivar o aluno a continuar sempre se esforçando”, comentou José Thiago Moutinho, 23 anos, formado em 2009 em Engenharia de Computação. Para Luis Fernando Marques, 26, o indicado do primeiro semestre do curso de Engenharia Mecânica, o prêmio traz benefícios em vários sentidos. “Quando o estudante entra na universidade sabendo do prêmio ele procura se esforçar para ser escolhido e isso também é bom para o curso”, explicou.

O ITEC indicou também o melhor aluno entre todos os cursos do instituto, que este ano foi a jovem Brena Tavares Bessa, 22, de Arquitetura e Urbanismo. O reconhecimento gerou surpresa e orgulho para ela e a família. “Fiquei feliz pelo reconhecimento do meu esforço dentro da universidade, e também pela notoriedade que o prêmio representará no meu currículo dentro e fora da UFPA”, declarou.

Os outros engenheiros homenageados foram Marcelo Pinho Almeida e Fillipe Matos de Vasconcelos, do curso de Engenharia Elétrica, Claikson Mendonça Duarte, de Engenharia Mecânica, Jefferson Dias Gonçalves e Janeth Hiromi Ishihara, de Engenharia Química e Edinaldo Ribeiro Maia Júnior, de Engenharia de Computação.

Visionário – O prêmio leva o nome de Isao Kawaguchi, ex-presidente da Mitsui Aluminium e da Nippon Amazon Aluminium Co. Ltd (NAAC) e um dos pioneiros do projeto alumínio no Pará. Kawaguchi integrou as primeiras missões de empresários e técnicos do governo japonês que vieram à Amazônia, no início dos anos 70, para estudar a viabilidade do alumínio da região, e participou dos entendimentos entre Brasil e Japão para sua implantação.

Texto e foto: Izabelle Araújo – Assessora de Imprensa da Albras

Divulgação

A Prainha da FAU

Surge uma novidade defronte à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo: a Prainha da FAU.

Aluna da FAU fatura o Kawaguchi

: :Prêmio destaca os alunos de melhor desempenho do ITEC

Reconhecer o esforço dos melhores alunos com a intenção de promover um ensino cada vez mais qualificado e participativo. É com essa ideia que o Instituto de Tecnologia (ITEC) da Universidade Federal do Pará (UFPA), em parceria com a empresa mineradora Albrás, realiza a cerimônia de entrega do Prêmio Kawaguchi, que acontecerá nesta sexta-feira, 26, no auditório do Centro de Excelência em Eficiência Energética da Amazônia (Ceamazon), no Campus da UFPA, no bairro do Guamá, em Belém.
O evento consiste em premiar os melhores alunos dos cursos das Engenharias da Computação, Elétrica, Química e Mecânica. Além disso, será premiado, também, o estudante que obteve o 1º lugar geral do ITEC, o qual poderá ser de qualquer faculdade pertencente ao Instituto. Ao todo, serão nove prêmios destinados aos alunos que alcançaram o melhor desempenho no ano 2009.
O secretário executivo do ITEC, Fernando Cardoso, afirma que a celebração tem o objetivo de ampliar a parceria da Albrás com a Universidade. O convênio entre as duas instituições pode ser comprovado com a presença de engenheiros egressos da UFPA e que, hoje, atuam na empresa. “Além de estimular o estudo, o Prêmio também fortalece essa parceria realizada há anos”, ressalta Fernando.
Para a celebração, foram convidados diretores da Albrás, o reitor e os pró-reitores da Universidade, os diretores das faculdades e das pós- graduações do Instituto, bem como os estudantes em geral.
Nesta edição, a aluna Brena Tavares Bessa, do curso de Arquitetura e Urbanismo, será premiada como a estudante de melhor desempenho no Instituto. “Já são dois anos consecutivos que alunos de Arquitetura levam o principal prêmio do evento”, declara o professor.
Realizada desde 1983, a premiação homenageia o empresário Izal Kawaguchi, idealizador do Projeto de Alumínio na Amazônia. Para conferir o restante dos premiados, clique aqui.

Texto: Flávio Meireles – Assessoria de Comunicação da UFPA

Panorâmica da FAU

Ação Metrópole: Projeto de Estado

Paulo Ribeiro é professor desta FAU-ITEC-UFPA e Coordenador de Planejamento e Gestão do Projeto Ação Metrópole do (Governo) do Estado do Pará.

Livro conta a história da Faculdade de Medicina da UFPA


A história de uma das mais antigas faculdades do Pará é o tema do livro: “Memória histórica da Faculdade de Medicina e Cirurgia do Pará 1919/1950 – da fundação à federalização”. O trabalho será lançado dia 25 de novembro (quinta-feira), às 19 horas, no auditório do Conselho Regional de Medicina do Estado do Pará (CRM-PA), na Av. Generalíssimo Deodoro, 223.
A obra é fruto de levantamento histórico de dois pesquisadores da Universidade Federal do Pará (UFPA), atuantes no Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB), os médicos Aristoteles Guilliod de Miranda e José Maria Abreu Junior, os quais desenvolveram a pesquisa em quatro anos. O livro traz informações de documentos oficiais e entrevistas de personalidades da área. A publicação tem o apoio da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (FADESP) e conta com projeto gráfico feito pela Oficina de Criação da UFPA.
Conteúdo – O livro é composto por 29 capítulos, distribuídos em 520 páginas e mais de 77 fotografias em preto e branco. Segundo os pesquisadores, o conteúdo da obra é bastante abrangente. “Não se trata de um trabalho exclusivamente destinado a médicos. Vai muito além da história de uma Faculdade de Medicina, abordamos também a evolução das ciências da saúde e as lutas estudantis no Estado do Pará. Num momento em que a UFPA sequer existia”, ressalta o doutor José Maria.
A obra faz um passeio histórico desde a época em que a Faculdade era uma instituição privada até a luta para que ela virasse uma instituição pública federal. “Resgatamos nomes esquecidos dos primórdios da Faculdade, como o Barão de Anajás; trazemos dados novos de personagens, como o doutor Camilo Salgado; ainda esclarecemos muitos fatos que ficaram obscuros na historiografia oficial”, garante José Maria. Na opinião de Aristoteles Guilliod, o livro “Memória histórica da Faculdade de Medicina” prenderá a atenção do leitor principalmente porque não há obra similar disponível no mercado. O livro será comercializado no valor de R$ 50.
Serviço:
Lançamento do livro “Memória histórica da Faculdade de Medicina e Cirurgia do Pará 1919/1950 – da fundação à federalização”
Dia 25 de novembro, às 19 horas
Local: Auditório do CRM-PA, Av. Generalíssimo Deodoro, nº 223, entre Oliveira Belo e Diogo Móia.

Texto: Ascom/FADESP

Divulgação

Ultrapassando uma barreira “mística”

É provável que este mês o Blog da FAU tenha uma queda substancial em sua audiência, saindo de uma fase consecutiva de ascensão.
Precisaríamos de 1962 acessos de agora até o dia 30 para ficarmos no chamado “zero a zero” em relação a outubro; mais de 245 pessoas por dia até lá, um feito miraculoso.
Contentemo-nos, então, com a ultrapassagem das 13.000 visitas.
Somos gratos aos internautas pela receptividade e alto nível na centena de comentários aprovados, dentre as raríssimas exceções, geralmente spans ou agressividades sem ou falsa identificação: ato normal do “público de igreja” — aquela turminha que entra porque a “porta” está aberta, o “ar condicionado” ligado e não há “padre” no “confessionário”.

Categorias
Administração

O que nos falta?

Temos Guamá, Cumbu e Tucunduba; Mecânica, Elétrica e Naval; mais, a “Prainha” da Arquitetura.
Então: mãos à obra ITEC:

Postagem em homenagem ao Irving Franco, entusiata de qualquer modo de travessia ao Cumbu, preferencialmente prática.

Rede Observatório Social do Brasil

Reunião decidirá criação de observatório de fiscalização em Belém.
(Ainda não encontramos o sítio do braço belenense na Web.)

Notícia enviada por  José Francisco da Fonseca Ramos.

Divulgação

[dos *anexos (ampliáveis).]

E-mail recebido:

“Convido-vos e peço apoio para a divulgação desses dois eventos (ver anexos*):
1) Lançamento do Livro ‘A Cobrança pelo Uso da Água como Instrumento Econômico na Política Ambiental‘, 23 de novembro de 2010 (terça-feira), às 18:30h no Instituto de Artes do Pará (Praça Justo Chermont, 236 – Nazaré – ao lado da Basílica) – ENTRADA FRANCA.
2) Exibição de curtas e médias-metragens do cineasta alemão Philipp Hartmann, 23 de Novembro de 2010 (terça-feira), às 20:00h no Instituto de Artes do Pará (Praça Justo Chermont, 236 – Nazaré – ao lado da Basílica) – ENTRADA FRANCA.
É interessante que os dois eventos são apresentados pelo mesmo autor: Philipp Hartmann tem formação na Escola de Belas Artes de Hamburgo (no curso de Cinema, entre outros com o diretor Wim Wenders); e é economista, daí o seu doutorado feito no Brasil sobre cobrança de água.
O evento é promovido pela Casa de Estudos Germânicos da UFPA, Goethe-Institut de Salvador, Associação dos Ex-Bolsistas na Alemanha – AEBA-PA – e Instituto de Artes do Pará – IAP.
Mais informações nos arquivos anexos*.
Saudações,
José Ramos
Presidente da AEBA –Associação de Ex-bolsistas na Alemanha.”

(Prof. Dr.rer.nat. José Francisco da Fonseca Ramos
Consultor Ambiental (PmaisL), Geólogo, Professor da UFPA
Conj. Santos Dumont II, nº 10, Marco
66087-830 Belém, Pará, Brasil
Tel.: +55 91 3276.4296 ou 3276.1299 Cel:91 9991.9105
joseramos@amazon.com.br; joseramos@ufpa.br
josefframos@gmail.com.
Twitter: @josefframos
http://twitter.com/#!/josefframos)

Divulgação

Causa verdadeira e justa

O e-mail contendo a imagem-convite acima nos foi enviado pela artista plástica Nina Matos, diretora do Museu Casa das Onze Janelas.
Claudia Helena Campos Nascimento, a mãe da jovem em questão, é arquiteta e urbanista formada pela UFPA, autora do blog Marcos do Tempo e aluna regular do Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo — PPGAU — do ITEC-UFPA; selecionada como primeira colocada em setembro passado (assim divulgado aqui).
Outra possibilidade, dentre as mobilizações de ajuda, é o depósito de qualquer quantia no Banco do Brasil: AG:1846-5 /CC: 88.306.344-1; o que pode ser feito de modo ágil pela Internet:

Confirmação da existência da mencionada conta corrente do Banco do Brasil em nome de Claudia Nascimento; dirimindo qualquer dúvida sobre a veracidade e seriedade da campanha compassiva.
A situação é real e periclitante, nada tendo a ver com falsas correntes, vírus, spans, malwares, cavalos de tróia, etc.; portanto, doe o que porventura não lhe faça falta, afinal, é axiomático, a todos nós, que: “para morrer, basta estar vivo”; evitar, pode residir nesse mesmíssimo frágil coletivo.

FAU: 6 meses com Juliano Ximenes na diretoria

O professor doutor Juliano Pamplona Ximenes Ponte, diretor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFPA por aclamação em Conselho, falou, sucintamente, ao Blog da FAU, sobre o marco  de seis meses à frente de alunos, funcionários e professores desta sub-unidade acadêmica fincada à beira do Guamá.
Juliano resume como a FAU segue seu curso natural: a passos curtos: cautelosos; e, à máxima distância da neurastenia provocada pela perniciosa má burocracia.

Cartaz de campanha: 2008 — foto na entrada do ateliê.

Juliano Ximenes e Haroldo Baleixe substituiram, respectivamente, Ronaldo Carvalho e Dina Oliveira (biênio 2008-2010), na direção e vice-direção da Faculdade, de acordo com a Portaria nº1979/2010-Reitoria, datada de 19 de maio do ano em curso.

Assista ao vídeo em full HD (700/30p): a mesma qualidade obtida no registro da premiação ao Euler Arruda à postagem passada.
Está em teste, desde ontem, a compacta e acessível Samsung E10, para demonstrar o quanto se poderia melhorar com o apoio cultural que não possuímos neste serviço voltado à comunidade (acadêmica ou não) e/ou, quiça, à sociedade “desfronteirada”.
O documento audiovisual do Juliano, na feitura, utilizou-se do tripé e foi agraciado pela luminosidade do poente; o do Euler prescindiu de tal equipamento, mesmo sob um sol de meio-dia.
Ossos do ofício de metalúrgico da museologia no Pará.

Mérito Museológico para Euler Arruda

O professor Euler Santos Arruda, efetivo da FAU-ITEC-UFPA, será homenageado pelo Conselho Federal de Museologia  — COFEM  — com a medalha do Mérito Museológico.
A cerimonia honorífica ocorrerá em 18 de dezembro, dia do museólogo, no Rio de Janeiro.
Euler foi um dos responsáveis pela criação do curso de Museologia da UFPA: graduação há dois anos implantada no Campus do Guamá, com duração de quatro anos e 30 vagas ofertadas nos 1º (janeiro e fevereiro) e 3º (julho e agosto) períodos letivos, dando oportunidade às pessoas que residem no interior do Estado virem à Capital estudar.
Euler Arruda, além da graduação em Arquitetura e Urbanismo pela UFPA, cursou Museologia em São Paulo na Fundação Escola de Sociologia e Política — FESPSP — e tem um mestrado e três especializações na área.
A láurea do COFEM também levou em consideração a trajetória do profissional: Euler foi diretor do Departamento de Patrimônio Histórico e do Museu do Estado, desenvolvendo diversas ações à preservação: mais de uma centena de solicitações de tombamento.

Saiba mais sobre a Medalha do Mérito Museológico (e também sobre as Nove Musas) no texto de Regina Bibiani publicado na Revista Eletrônica Jovem Museologia (ANO 1, N°.1, Janeiro de 2006).       


Assista ao vídeo em full HD: 700p.