O Clipper nº1 foi calcado no hidroplano Fairchild 91 — Baby Clipper

Na publicação CLIPPERS ‒ sui generis PARADAS da Belém dos hidroaviões, de 27OUT2014, afirmamos que a primeira parada/abrigo com comércio e serviços erigida em Belém no final dos anos 1930 tinha forte relação formal com um modelo de hidroavião da PanAir do Brasil S. A. que fizera a rota Belém-Manaus (com escala em Santarém) desde 1936: o Baby Clipper.
O achado de novas referências imagéticas dá ao entendimento que as proporções do hidroplano Fairchild 91 (Baby Clipper) — desenhado pelo engenheiro austríaco Alfred Gassner à estadunidense Fairchild Aviation Corporation fundada em 1924 por Sherman Fairchild — foram mantidas no ante-projeto para um abrigo em alvenaria e cimento armado que seria inaugurado em 1939 no canteiro central da avenida Portugal, na ilharga do Ver-o-peso, defronte à Praça do Relógio.
O ante-projeto para um abrigo,  segundo o jornal paraense Folha do Norte de 01JAN1939, fora elaborado pelo desenhista Oswaldo Pinho; contudo, na base direita da prancha de elevação vista acima, há uma assinatura ilegível sobre o termo arquiteto licenciado, transferindo-se tacitamente a autoria a Arlindo Guimarães, único assim titulado pelo próprio periódico.
A Folha, em sua matéria, também atribui a Arnaldo Baena, engenheiro auxiliar da Directoria de Obras Públicas, a representação dos Projectos de 8 abrigos para passageiros em varios pontos da cidade. Que serão realizados no anno de 1939 pelo prefeito Abelardo Conduru. 
Chama-se atenção ao fato do ante-projeto apresentar duas colunas de apoio ao vigamento e à fina laje de cobertura do abrigo, fazendo as vezes (visuais) dos flutuantes laterais do anfíbio; entretanto, pela fotografia que seguirá, ver-se-á que houve solução ao balanço da “envergadura das asas” no cimento armado, sendo os pilotis eliminados da construção, tornando-a leve, desamarrada do chão:

A sequência ratifica que o abrigo Clipper n°1 manteve fidelidade, em escala real, às proporções subtraídas da parte transversal do hidroplano Baby Clipper — um equipamento aeronáutico capaz de transportar dois pilotos e oito passageiros sobre a floresta e rios amazônicos, mais carga e combustível.
A modelagem retirada de CLIPPER Nº1 ─ transparência construtiva; por José Maria Coelho Bassalo, por seu exagero perspético, dá-nos a sensação de estar diante de um avião, à parecência do ponto de vista baixo da foto do Baby Clipper em aeródromo terrestre que certamente não é Belém.
A correlação entre a aparência de dois objetos de funções distintas ao homem, mas que salvaguarda sua antropometria à ergonomia, é argumento bastante à tese de aplicação do Streamline Moderne ianque na arquitetura pública de Belém do Pará.

Veja o voo do Fairchild 91 (Baby Clipper) — registro PP-PAP — entre Belém e Manaus em 1937:

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, História, Memória, Patrimônio e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O Clipper nº1 foi calcado no hidroplano Fairchild 91 — Baby Clipper

  1. irving disse:

    Ge-ni-al! Fan-tás-ti-co! Revisitar a Amazônia através deste filme foi Fe-no-me-nal!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s