Museu Nacional do Rio de Janeiro — parte do que a humanidade perdeu

Ontem, no início da noite, o mundo assistiu de modo online a destruição de parte significante de sua História; o Museu Nacional do Rio de Janeiro queimou impiedosamente pela irresponsabilidade do governo federal que negligencia a educação e a cultura sucateando, e neste caso aniquilando, o intelecto do país.
Soubemos da inominável ocorrência pelo aplicativo WatsApp justamente quando discutíamos cenários para um trabalho titulado 1940 Documentário Ficcional “Novo” Museu Paraense Emílio Goeldi  a ser veiculado pelo Blog da FAU (Laboratório Virtual da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do ITEC/UFPA) assim que concluído; nele estamos debruçados desde o dia 17 de agosto último.
O sinistro do Museu Nacional, por uma questão de time e referências visuais ao próprio, obriga-nos a tornar pública a primeira experimentação animada, talvez 1/10 da produção que esperamos finalizar nesta semana:

(O audiovisual do Goeldi foi atualizado à versão mais recente)

Sobre o Projeto Laboratório Virtual - FAU ITEC UFPA

Ações integradas de ensino, pesquisa e extensão da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará - em atividade desde maio de 2010. Prêmio Prática Inovadora em Gestão Universitária da UFPA em 2012. Coordenação: professor Haroldo Baleixe.
Esta entrada foi publicada em Arquitetura e Urbanismo, História, Memória e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

1 respostas para Museu Nacional do Rio de Janeiro — parte do que a humanidade perdeu

  1. selma santiago disse:

    O Museu Nacional está sucateado desde os anos 90 porque vivia com um orçamento de 520 mil Reais, para manutenção de suas instalações e acervo. Lembrando que, ainda, em 2014, o Museu teve as portas fechadas por falta de recursos financeiros. Cadê os indignados que hoje faturam com a tragédia?

Deixe uma resposta