Divulgação

Vênus de Müller, em cartaz na Elf.
O corpo da mulher sempre esteve em evidência nas artes. É um tema que se repete nas principais técnicas pictóricas. A representação do nu feminino por Antonio Parreiras, Cezanne, Edgar Degas, Eugene Delacroix, Di Cavalcanti, Gustav Klimt, Henri Matisse, Ingres, Manet, Modigliani, Paul Gauguin, Picasso, Renoir, entre outros, foi eternizada no mundo ocidental, quando a nudez na arte era tolerada, divergindo do que ocorria na vida real. A obra prima da geração clássica e talvez a mais famosa expressão do gênero é a Vênus de Milo, escultura da Grécia antiga, pertencente ao acervo do Museu do Louvre.
As representações dos corpos desnudos nas épocas expressaram, em grande parte, a sexualidade masculina, tendo muito pouco a ver com a sexualidade da mulher e consolidaram a imagem da submissão, bem diferenciada das imagens dos nus femininos vistos em nossos dias. O corpo da mulher foi arte endereçada para o expectador/comprador masculino, e esteve presente em obras onde o tema, por significar o ideal estético da perfeição, nem era o próprio nu, o que pode ser percebido nas obras de representações alegóricas e míticas. Este ideal sofreu a interferência de épocas, de povos e do próprio espectador, que o configurou como objeto de atração erótica. Por isso, o gênero do nu foi objeto de admiração e de condenação, chegando a ser considerado como algo proibido, sem, no entanto, jamais ter deixado de ser adquirido e colecionado pelos amantes das artes.
O conjunto das obras reunidas nesta exposição se configura como um recorte do acervo da ELF GALERIA, colecionado por Gileno Müller Chaves. São nus femininos representados por artistas brasileiros, como: Antoine; Antonio Vitor; Décio Soncini; Francisco Gonzalez; Flavio Gadelha, entre outros, expressados na pintura, no desenho e na gravura, e denominados como “As Vênus de Müller”. As aquisições resultaram de um olhar próprio, perpassado por mais de três décadas, e ajustado ao exercício de uma atividade cultural intensa, baseada no domínio do conhecimento e no prazer de colecionar.
A mostra estará aberta a visitações a partir de 9 de novembro, de segunda a sexta-feira, no horário das 10 às 19h e aos sábados, de 10 às 14h; encerrando-se no dia, 1 de dezembro, com um sarau lítero-musical, que acontecerá das 11 às 14h, para convidados.
A ELF GALERIA está localizada na Av. Gov. José Malcher, Passagem Bolonha, número 60, Bairro de Nazaré, em Belém do Pará e tem endereço virtual no http://www.elfgaleria.com.br/ http://www.facebook.com/elfgaleria. Os contatos podem ser feitos pelos telefones (91) 3224 0854 – 99857647.

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, Artes Plásticas e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s