O brilhantismo estudantil de Mario Braga Henriques

Esboço de medalha ao Mérito Estudantil da UFPA

O primeiro reitor da Universidade (Federal) do Pará, Mario Braga Henriques, nasceu em Belém no dia 10 de fevereiro de 1908 e faleceu no Rio de Janeiro em 05 de setembro de 1985 aos 77 anos.
O período reitoral de Mario Braga Henriques foi regular perante o Estatuto Original da UP: 3 anos iniciados em novembro de 1957 e finados com a posse do segundo reitor, José da Silveira Netto, em 18 de dezembro de 1960.
Durante os três anos de mandato de Mario Braga Henriques, segundo ele próprio, somente no exercício de 1960 — o último de sua gestão — houve razoável (e insuficiente) aporte de verbas à recém criada instituição de ensino superior no Estado do Pará.
Mas não é do reitor apagado da memória institucional que trataremos aqui e sim do brilhante estudante que ingressou na Faculdade de Direito do Pará em 1923.
Em sua Tese para concurso a professor catedrático da 2ª cadeira de Direito Comercial à Faculdade de Direito do Pará publicada em 1932, Mario Braga Henriques transcreve o resultado de sua petição ao Sr. Dr. Diretor da Faculdade de Direito do Pará:


Mesmo desconhecendo o Regimento Interno da Faculdade Livre de Direito, entende-se que o aluno Mario Braga Henriques prestou vestibular aos catorze anos de idade e fora matriculado no curso com 15 já completos em 31 de março de 1923; recebeu o gráu de bacharel em ciencias juridicas e sociais com 19 anos e seis mêses de idade.
Desse modo a legalidade do documento assinado pelo Primeiro Oficial da Secretaria, Antonio Gonçalves Bastos, superpõe-se ao periódico A Província do ParÁ de 10FEV1959 que afirma ser Mario Braga Henriques da turma de 1929 e não da de 1927 como de fato é atestado por certidão de fé pública.
Mario Braga Henriques assumiu a reitoria da Universidade do Pará aos 49 anos, 30 depois de formado e 24 como professor catedrático da Faculdade onde estudou — o hiato de seis anos corresponderia hoje a um mestrado e doutorado sequenciados.
A trajetória acadêmica de Mario Braga Henriques pode ser estimuladora a estudantes, embora se apóie em parâmetros tácitos: pouca idade e muitos títulos.
A UFPA já comemorou sessenta aniversários sem homenagear seu primeiro reitor; talvez uma medalha, objeto de concurso público nacional no qual qualquer cidadão esteja apto a concorrer, repare uma injustiça histórica — os rudimentos da ilustração mostram no anverso um jovem catedrático que alcançou o cume da carreira docente e, no reverso, o brasão original criado por Maÿr Sampaio Fortuna a pedido do primaz magnífico e mantido até o Golpe hoje Civil-Militar de 1964.
Lembrar de uma pessoa de prodigiosa trajetória universitária como alguém chegado a um uisquinho que nem morava aqui é redução em excesso.

Colaboração: José Maria de Castro Abreu Júnior.


Diante ao equívoco de A Província do Pará é mais acertado que façamos as devidas correções na publicação O reitor Mario Braga Henriques foi aluno prodígio da Faculdade de Direito nos anos 1920 para evitar confusões aos nossos ledores — não usaremos o habitual postscriptvm, retificaremos o ano no recorte do periódico hiperlinkado.

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, História, Memória, Patrimônio e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s