Olaria São Martinho do Tucunduba

Ampliável

O colaborador Ricardo José Condurú, morador da Barão de Igarapé Miri às proximidades da Rua da Olaria, recolheu informações com vizinhos mais antigos daquele setor do Guamá e nos apresentou um resumo:
A Olaria São Martinho era de propriedade de Amadeu Duarte tendo como sócios os irmãos Américo e Rosalino —  os três portugueses —; Amadeu mantinha uma vacaria nas terras da olaria.
A olaria foi vendida, tempo depois, ao Seu Coimbra, dono de posto de combustível; nas mãos deste a São Martinho fechou suas portas sendo abandonada por vários anos até que, em 1990, deu origem à invasão Riacho Doce.

Sobre o Projeto Laboratório Virtual - FAU ITEC UFPA

Ações integradas de ensino, pesquisa e extensão da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará - em atividade desde maio de 2010. Prêmio Prática Inovadora em Gestão Universitária da UFPA em 2012. Coordenação: professor Haroldo Baleixe.
Esta entrada foi publicada em Arquitetura e Urbanismo, Fotografia antiga, História, Memória e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas para Olaria São Martinho do Tucunduba

  1. Jussara Derenji disse:

    Ao que eu saiba a Olaria no Tucunduva era da família de Acacio Sobral. Ele artista plástico dos mais reconhecidos no século XX. Tinha duas irmãs, uma inclusive se chama América em homenagem ao pai ou avô. Na atual geração a família tem uma pessoa muito conhecida no meio artístico Keyla Sobral. Ou se preferirem procurar informações comerciais sem dúvida terão na Associação Comercial do Pará onde os dois proprietários portugueses atuaram ou, na atualidade, na padaria Armazém do Shopping, pertencente à uma das netas.

Deixe uma resposta