Histórico do Curso

A criação do Curso de Arquitetura e Urbanismo, em 1964, deveu-se ao interesse dos engenheiros civis em formalizarem a responsabilidade pela elaboração de projetos de arquitetura como competência profissional própria do arquiteto. A experiência inicial foi de complementação da formação dos engenheiros civis já formados (em turmas de dois anos). Esta origem enfatizou uma abordagem voltada para as necessidades do mercado, com especial ênfase tecnológica e envolvida tradição modernista em substituição a uma herança forte do passado eclético na cidade de Belém. O início do curso deu-se, portanto, com atividades de ensino em detrimento da produção do conhecimento (pesquisa) e de seu retorno para a sociedade (extensão).

A primeira mudança significativa no currículo do curso ocorreu em 92, quando tramitavam no MEC as diretrizes curriculares para o curso de Arquitetura e Urbanismo (Portaria N o . 1.770 – MEC, de 21/12/1994), atualmente em vigor. Nesta oportunidade incorporou-se o sistema de blocos, e conteúdos novos e mais detalhados. Infelizmente, a aprovação das diretrizes em 94 (apenas os cursos de Arquitetura e Urbanismo e Direito se anteciparam ao edital do MEC de 1996, que cobraria diretrizes curriculares), não resultou na conclusão das transformações esperadas. As determinações de critérios mínimos a serem atendidos pelo curso nunca puderam ser observadas (laboratórios, acervo bibliográfico, proporção professor/aluno, condições de elaboração do trabalho final de graduação) nem houve adoção de estratégias de ensino definidas a partir do perfil esperado do profissional a ser formado. Some-se a isto a insuficiência de qualificação docente e a redução do quadro (por aposentadoria e falecimento) ao longo da última década, que agravaram as dificuldades estruturais enfrentadas pelas universidades públicas no mesmo período.

Atualmente consideramos a elaboração do Projeto Político Pedagógico (PPP-AU) uma oportunidade histórica de redirecionamento da trajetória do curso, na qual possam ser articuladas as atividades de ensino, pesquisa e extensão, dentro da graduação e visando a criação da pós-graduação. Além do mais, a existência de escolas privadas de arquitetura e urbanismo na cidade tem feito com que o aluno ingressante na UFPA seja o aluno mais carente financeiramente ou, sob outro ângulo, o mais interessado em uma formação mais abrangente (baseada no ensino pesquisa e extensão). No primeiro caso trata-se do aluno sem meios para pagar o curso privado, e que necessita de infra-estrutura disponível no curso (equipamentos, livros, computadores, bolsas de estudo) para viabilizar o seu aprendizado, no segundo caso, do aluno que está disposto a colaborar o quanto possível para melhorar a qualidade do curso.

As habilidades e competências esperadas do aluno egresso, assumidas no Projeto Político Pedagógico em elaboração, baseiam-se na proposta de diretrizes curriculares formulada pela ABEA, atualmente em apreciação pelo MEC; aquelas (habilidades e competências) exigem uma formação multidisciplinar do profissional arquiteto, urbanista e paisagista, bastante pertinentes à realidade da região Amazônica, crescentemente urbana, porém com cidades jovens.

Copiado da página institucional da FAU.


Para uma compreensão história da Arquitetura na UFPA acesse a postagem UMA FORMAÇÃO EM CURSO — Esboços da Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFPA.

10 respostas para Histórico do Curso

  1. Lucinda Freitas de Assis Sena disse:

    Me formei pela FAU em 1990 e me titulei em ARQUITETURA.
    Com a mudança legal que ouve em 92 para ARQUITETURA E URBANISMO….devo considerar que minha titularização também mudou…ou devo completar alguma grade curricular para obter o título de ARQUITETURA E URBANISMO?

    • fauitec disse:

      Você deve procuar o Conselho (CREA ou CAU, depende da época) para fazer a averbação de diploma.
      É um processo de caráter interno, administrativo, e tem alguns requisitos.
      Em geral a emissão de 2ª via pela UFPA já faz constar, no novo diploma, a habilitação em Arquitetura e Urbanismo, por outro lado.
      Juliano Ximenes
      Diretor da FAU.

  2. Arthur Motta disse:

    Me graduei pela FAU em 1994, e até hoje sinto saudades do curso, do ambiente, dos mestres e dos colegas, alguns hoje são professores, como a Kláudia e o Baleixe. Um grande abraço em todos.

  3. vertulino vieira de freitas disse:

    gostaria de receber uma demonstração de como era calendario do mes de julho de 1952. se possível, obrigado.

  4. O primeiro arquiteto roraimense se formou em 1974 pela FAU-UFPA. Podemos pensar em uma coleta de depoimentos inter-institucional entre UFPA e UFRR. ;)

  5. Eudalia Fialho disse:

    Boa noite
    Meu filho faz Arquitetura (terceiro ano) numa instituição particular aqui no Rio Grande do Norte
    e queremos retornar para Belém (Somos do Pará). Qual processo para ingressar ou ser transferido para a FAU? Só por vestibular? Grata!

    • fauitec disse:

      Eudalia Fialho:
      Favor entrar em contato com a administração acadêmica: professores Fabiano Homobono Paes de Andrade (fabiano@ufpa.br) e Cybelle Salvador Miranda (cybelle@ufpa.br); ou com a secretaria da Faculdade (fau@ufpa.br).

  6. Thais disse:

    Bom dia! Como posso obter a Portaria de Reconhecimento do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFPA? Está sendo exigido para inscrição no CAU de São Paulo.
    Obrigada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s