O alerta de Paulo Ribeiro

A Prefeitura de Belém inscreveu no PAC 2 de Mobilidade Urbana um projeto para implantar um corredor de ônibus na Augusto Montenegro e Almirante Barroso. Este projeto que pode ser considerado incompleto, uma vez que não chega ao Centro de Belém e não atende ao sistema metropolitano que vem de Ananindeua e Marituba, poderá comprometer a proposta do Governo do Estado, caso o trecho da Almirante Barroso tenha características diferentes.
A proposta do Estado a que me refiro é de um corredor que vem da BR-316 desde a Aça Viária até o Centro, passando pela Almirante Barroso e que será financiada pela JICA (Agência Japonesa de Cooperação).
O projeto que a Prefeitura apresentou no Ministério das Cidades, trata o trecho comum dos dois projetos (Almirante Barroso) de forma diferente e agora, sem que a PMB tenha discutido com o Estado o assunto, ela irá apresentar o projeto em audiência pública, conforme menciona o edital de convocação.
O assunto é sério e poderá botar em risco, no apagar das luzes, um estudo que vem sendo desenvolvido há muito tempo, não acredito que em um ano e meio a prefeitura consiga implantar seu projeto, mas caso ela consiga sua aprovação, poderá inviabilizar o projeto que o Governo do Estado pretende implantar nos próximos 4 anos, o Ação Metrópole.
Por tudo isso acho que este tema deve ser divulgado no meio acadêmico e estudantil.

Texto do professor Paulo de Castro Ribeiro.

Ação Metrópole: Projeto de Estado

Paulo Ribeiro é professor desta FAU-ITEC-UFPA e Coordenador de Planejamento e Gestão do Projeto Ação Metrópole do (Governo) do Estado do Pará.