FAU perde uma estrela no GE 2012


Nenhum motivo lógico justificaria a avaliação decrescente que o Guia do Estudante, em sua versão Melhores Universidades 2012, fez do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFPA.
Possivelmente algum consultor espírito de porco — já que a aferição desse resultado se dá pela média apurada entre a opinião de professores universitários, de regiões próximas no Brasil, que são pareceristas do GE — não acredita que haja uma Faculdade com excelência no meio da selva amazônica; ou, inveja o fato.
No Guia do ano passado (2011) obtivemos as 5 estrelas; de lá para cá, além dos motivos comuns que levaram as IFES do país a uma greve extremamente longa e desgastante à sociedade, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFPA segue pelos mesmos trilhos, com velocidade semelhante e serviço de bordo melhorado.
Esperemos pelo próximo resultado do ENADE, talvez esse parâmetro oficial de avaliação tire a impressão negativa que a “nota 4” do GE, de algum modo, impingirá à FAU.

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, Avaliação e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para FAU perde uma estrela no GE 2012

  1. Irving disse:

    Caro HB,
    Nosso ambiente acadêmico vem numa crescente…o número de professores drs…as titulações de mestrado…o engajamento de professores na trajetória do doutoramento…nem tudo se traduz em “estrelas”, mas em muita dedicação e numa trajetória visivelmente ascendente.
    ****Das ações incontabilizáveis direcioandas “ao estrelato”…temos o retorno do Chalé de Ferro ao território da Arquitetura, do Urbanismo e do Restauro, recebendo o Programa de Pós Graduação da Arquitetura e Urbanismo (PPGAU)…aglutinando pesquisadores, projetos, bolsa de IC…”adubando” a graduação…
    Nosso dever de casa é registrarmos, formatando o que hoje está distante da “formalidade” acadêmica, contabilizar os cursos de complementação acadêmica apenas a título de exemplo: os 8 cursos computacionais oferecidos pelo LADEC neste últimos 7 anos de sua trajetória – expandido com 20 horas práticas – o curso de Conforto Ambiental, como também o programa ECOTEC (20 horas), do curso de CFD – Computer Fluid Dynamic…desenvolvido agora em junho e julho de 2012 (40 horas)…através de uma tentativa heróica de uns valentes…graduandos, pós-graudandos e professores.
    Quem sabe no final do ano disponível de forma metodologicamente amparada para teste diante de um público de Arquitetos e Urbanistas.
    Não podemos esquecer do Evento do Congresso ARQ.DOC 2012.
    Retomando ainda o resultado prático e factual do incremento no número de bolsas de Iniciação Científica, aportadas no úlitmo ciclo de 2011 a 2012, perenizando alunos em nosso ambiente acadêmico, somente foi possível devido reflexo do engajamento dos docentes da FAU e do programa do PPGAU e dos projetos aprovados no CNPq (não contabilizado no guia…se me lembro bem, caso não, fica a sugestão).
    Ainda quanto as nossas conquistas mais recentes…enfim, ampliamos o horizonte para os alunos egressos, Arquitetos, Urbanistas, entre outras formações afins, que hoje também contam e convergem para os cursos de pós-graduação, seja almejando o título de mestre via PPGAU, ou uma aproximação através do título de especialista no curso de especialização em Conforto Ambiental….aprovado há alguns meses…e, é claro, não podemos deixar de lado as duas (02) turmas do DUMA…sem contar a publicação dos trabalhos.
    ***O “negócio” não é contar as estrelas…mas “regá-las e adubá-las”, cultivá-las, vivificando e incentivando a qualidade de nosso ambiente acadêmico…positividade nas nossas ações internas… sigamos em frente certos de nossas metas, não apenas atentos e seduzidos pelo “glamour” do estrelismo!
    ****Tem gente que prefere segmentar o mundo para entendê-lo…e assim reprovarão o comentário…separar uma coisa da outra…é também um passo para entender o todo…afinal graduação é uma coisa e pós é outra”…então me explico…estou comentando sobre fatos que geram reflexos sobre a gra-du-a-ção… nada mais óbvio…porém não contabilizáveis!
    O que fiz questão de salientar rapidamente, logo acima, são apenas alguns resultados da sinergia e do efeito dos reflexos transversais obtidos pelo avolumar de alternativas, seja em termos de aperfeiçoamento profissional, acadêmico…que neste caso…estamos colhendo…quem sabe, sem ainda contar com condição de ser devidamente contextualizado e contabilizado no famoso guia…ufa!.!.!.
    Sds a todos…
    Irving

    • fauitec disse:

      Irving:
      Concordo contigo, pois a falta de uma estrela não afetará a “autoestima” de ninguém; e, observemos, a ausência do “amor-próprio” derruba pontuações in loco nas avaliações do MEC, como ocorreu com a nossa Engenharia Química.
      Um meio-termo há de vir: nem tanto ao engessamento acadêmico, nem tanto à liberalidade econômica.
      O GE é prático, desburocratizado, confia na opinião dos pareceristas, que fazem esse trabalho de graça e sem muita responsabilidade; portanto, há espaço bastante ao espiritismo dos porcos.
      O Guia tem que estar nas bancas com as novidades bem apresentadas aos vestibulandos; então, estrelas são detalhes para gourmets.
      Há a mea-culpa do Blog, que por modificação banais, deixou de figurar na primazia do Google; faltou-nos uma Louise Ferry para resolver essa pendência internáutica.
      Por mais que tenhamos uma página oficial, a dinâmica e a informalidade do BF são relevantes porque dão a visão poliédrica que a Faculdade precisa, já que a sua realidade é plural, para o nosso prazer.
      Mas… comemoremos sempre; afinal, Deus ajuda os bêbados e as criancinhas.
      Abraço,
      Haroldo.

  2. Jose Carlos Cardos Filho disse:

    Prezado Prof. Haroldo
    Eu considero importante para a nossa Instituição a iniciativa da FAU em divulgar e promover o debate a respeito da avaliação de curso. A PROEG/UFPA poderia seguir o exemplo, iniciando com a divulgação de tabela como a nossa, porém extensiva a todos os cursos da UFPA.
    Com relação a metodologia de avaliação aplicada pelo Guia dos Estudantes (Editora Abril) e a metodologia do INEP/MEC, como avaliador de ambos, posso afirmar que são completamente diferentes. Não tem como comparar os resultados proporcionados pelos diferentes métodos. A primeira apresenta uma forte componente subjetiva e provavelmente esteja nesse ponto a explicação para a diminuição do número de estrelas do Curso da FAU/UFPA em 2012.
    A próxima avaliação ENADE para os cursos do ITEC será em 2014, assim sendo precisamos ficar atentos.
    Um abraço
    Prof. Jose Carlos
    FEQ /ITEC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s