Por que e como Benedicto Passarinho hospedou Getúlio Vargas em 1933?

corel634

C. S. & C. Marca registrada para aplicação em todos os produtos da Cesar Santos. Pará, 28 de maio de 1913. (Marcas do Tempo SECULT/JUCEPA, 2015/16)

Em Palacete Passarinho – “residência provisória” de Getúlio Vargas – 1933 observou-se que o chefe do governo provisório se hospedou no Palacete Passarinho, de Benedicto Nobrega Passarinho,  proprietário da grande drogaria “Cesar Santos”*, de Belém do Pará.
O Jornal (RJ) de 06JUN1932 publica entrevista com o presidente da Associação Commercial do Pará, Antonio Faciola; nela o commendador,  ex-senador estadual e último intendente de Belém – indicado pelo governador Eurico de Freitas Valle e com ele deposto pela Revolução de 1930 – fala sobre a participação do Pará na representação do Partido Economista junto à Constituinte:

– Sem ver nomes, os mais indicaveis, porém, são, sem dúvida, os dos srs. Benedicto Passarinho, chefe da Drogaria Cesar Santos, actualmente na Europa, e Antonio Almeida Martins, proprietário do Grande Hotel.

Faciola, depois de elogiar a administração do major Magalhães Barata, conclui:

As classes conservadoras do Pará, assim que o Brasil fôr reentregue á ordem legal, pleitearão o nome do actual interventor para o governo do Estado.

O apoio das Classes Conservadoras do Pará a Barata estendeu-se a Vargas na sua primeira visita à cidade de Belém em 1933:

Diário Carioca (RJ) 01SET1933

O Jornal do Brasil de 27SET1933 dá a dimensão dos festejos políticos, inclusive diante do Palacete Passarinho: … até a residencia do capitalista Benedicto Passarinho, onde estarão formadas cinco mil operarias que cantarão o Hino Nacional.

Almanak Laemmert Notabilidades Commerciais 649 - 1930 (3)

Almanak Laemmert Notabilidades Commerciais página 649 – ano 1930

*Fundado em 1884, o estabelecimento de Cesar Santos & C.ia, localizado à Rua de Santo Antônio, n.os 25 a 27, em Belém, além de importar e comercializar especialidades farmacêuticas e drogas dos mais afamados fabricantes da época, exportou em alta escala medicamentos fabricados em seus laboratórios. A sociedade era composta de Arthur Cesar Santos Kós, Manoel José Fernandes, Benedicto Nobrega Passarinho e Adrianna Lyra Castro (comanditária).  (Marcas do Tempo SECULT/JUCEPA, 2015/16)


Postscriptvm:

Por ora a publicação apenas arranha a questão, entretanto, novas informações devem dar melhor entendimento do porquê e de como Getúlio Vargas se hospedou no Palacete Passarinho.

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, História, Memória e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s