Batalhão de Caçadores da Força Pública Militar — hoje Reitoria da UEPA

Tarde de 1º de julho de 1937 — inauguração do BC: Batalhão de Caçadores da Força Pública Militar do Estado do Pará

O jornal Folha do Norte de 02 de julho de 1937 publicou a cobertura da inauguração do Batalhão de Caçadores, uma das três unidades componentes da Força Pública Militar paraense recriada pelo governador José Carneiro da Gama Malcher — fora extinta com a Revolução de 1930 e restruturada pelo Decreto nº1.707 de 1° de julho de 1935.
Dias depois, em 21 de julho de 1937, Malcher também inauguraria o Grupo Escolar Augusto Montenegro: … que é o primeiro de uma serie de estabelecimentos do mesmo genero, quase concluidos. Os novos estabelecimentos obedecem á orientação do plano desenvolvido pelo prefeito Pedro Ernesto (Baptista) do Districto Federal. O governador José Malcher está disposto a cumprir rigorosamente essa parte do seu programa administrativo, sem alarde, até que tenha sido integralmente reformmado, nas varias dependencias o ensino publico do Pará… [Gazeta de Notícias (RJ) 21JUL1937].
Como o padre Cupertino Contente dissera, no final de março de 1935, que o grupo Augusto Montenegro estava em construção no inacabado e abandonado prédio da Penitenciário do Estado do Pará, deduz-se que em nenhum momento o atual prédio da Reitoria da Universidade do Estado do Pará (UEPA) chegou a hospedar à educação mil creanças; mas sim 18 officiaes e 410 praças em 1939 de acordo com a Revista da Semana de março.
As obras determinadas para transformar as ruínas da Penitenciária no quartel do Batalhão de Caçadores ficou nas mãos do engenheiro civil Philignesio Augusto Penna de de Carvalho — não sabemos, ainda, se Philignesio iniciou o trabalho em obediência ao plano do major Magalhães Barata ao grupo modelo.
Associando o texto da inauguração do Batalhão de Caçadores (Infantaria) às fotos publicadas em 1939 tentaremos estabelecer um leiaute que carecerá da análise do local:


Ampliável

O texto de 1937 acima sublinhado é assim complementado: Ao lado do edificio, em construcção de madeira, estão a cavalariça, a barbearia, alfaiataria, reserva das companhias e garage.

O texto de 1939 dá mais informações ao leiaute saindo do prédio principal


Entre maio e novembro de 1939 acrescentaram uma guarita à frente do edifício do BC

 

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, Fotografia antiga, História, Memória e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s