Centro Cultural Palacete Faciola: a casa de Jovita

Comprovou-se que Antonio d’Almeida Faciola ocupou, como proprietário, os dois imóveis, o 26 e o 28 da Avenida Nazareth em 1916; sobrou a última casa (Nazareth, 24) dentre as restauradas e revitalizadas pelo Governo do Estado, esta agora descoberta como de José Jovita Corrêa da Silva.
José Jovita Corrêa da Silva era genro de Bento José da Silva Santos – citado nas publicações anteriores -, já que casado com Adélia Augusta de Lemos Santos (nome de solteira), que passou a se chamar Adélia Santos Corrêa da Silva – vide Inventário de Bento José da Silva Santos.
Ou seja: todo o complexo (palacete e duas casas) que abriga o Centro Cultural Palacete Faciola teve origem na família Silva Santos.
Talvez a maior homenagem ao Bento seja a recuperação do conjunto com a interligação que lá há; seu propósito de união familiar – quem sabe se o acesso franqueado às três casas seja algo do passado?


A mesma nota reforça a propriedade de Faciola com a cobrança do Imposto Predial para o ano de 1917 no nome de Servita Almeida (que deveria ser Servita d’Almeida Faciola) titular do pagamento ao tributo do número 28 de Narareth.
Já o imóvel 26, o primeiro a ser ocupado por Antonio Faciola, permanece no nome da segunda mulher de José Bento da Silva Santos, Marianna Fernandes da Silva Santos, casada com separação de bens e única dona do imóvel – tal atraso na retificação, possivelmente, se deve ao fato de Marianna ser a única proprietária do imóvel, não causando preocupações ao Faciola que já tinha a posse – o jornal em questão é de novembro de 1916.
Esse assunto se torna secundário porque a casa de número 26 foi deixada à filha de Antonio Faciola, Inah Faciola, e vendida por seus sucessores em 1991.

Nossas especulações atuais são sobre uma possível grande reforma e ampliação no palacete (28), capaz de aumentar seu poder ostentativo e marcar visualmente a mudança de dono; certamente iniciada ainda em 1916, motivo de Faciola se ter instalado no 26.
Consideramos que essa obra tenha acrescido dois volumes arquitetônicos encadeados – pela Doutor Moraes -, engastado o frontão na platibanda que existia e, quem sabe, substituído a grade projetada por Castro Figueiredo com a sigla BJSS pelo monograma que lá se vê: SF (de Servita Faciola, a verdadeira proprietária do Palacete Faciola desde 1916).


A sociedade de Bento com o genro José e seu irmão Eduardo Jovita

Sobre o Projeto Laboratório Virtual - FAU ITEC UFPA

Ações integradas de ensino, pesquisa e extensão da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará - em atividade desde maio de 2010. Prêmio Prática Inovadora em Gestão Universitária da UFPA em 2012. Coordenação: professor Haroldo Baleixe.
Esta entrada foi publicada em Arquitetura, Restauração e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta