Em Belém do Pará, pode tudo! (3)



Não é só na periferia da Cidade que a gente vê coisas esquisitas acontecerem; em locais nobres, como o entorno do Palacete Bolonha, também há desserviços aos munícipes.
Um exemplo típico é a ocupação de uma via pública por particulares: intalaram uma guarita de vigilância privada obstruindo uma passagem-jardim na Benjamim Contant, entre Boaventura da Silva e Henrique Gurjão, no interstício entre os números 906 e 890 (no sentido do trânsito da Benjamim).
Lá há uma construção tosca ocupando mais da metade, pela área central, daquele logradouro público que tem um poste sensatamente bifurcado para distribuir a iluminação.
Nesse abrigo rebocado sem pintura se pode observar um ventilador, um indivíduo à paisana sentado em uma cadeira, um prato de ração canina sobre o chão e uma câmera presa ao madeirame do telhado – pelas dimensões, não duvidamos da existência de um banheiro.
A foto abaixo mostra o quanto se perde da perspectiva dessa ruazinha sui-generis sem saída ao fundo:

Sobre Projeto Laboratório Virtual - FAU ITEC UFPA

Ações integradas de ensino, pesquisa e extensão da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará - em atividade desde maio de 2010. Prêmio Prática Inovadora em Gestão Universitária da UFPA em 2012. Coordenação: professor Haroldo Baleixe.
Esta entrada foi publicada em Administração e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

1 respostas para Em Belém do Pará, pode tudo! (3)

  1. Conceição Lopes disse:

    Pensei que eu fosse louca.
    Pensei que o meu bairro querido, e também a minha CIDADE, pertencessem aos outros, não a mim, que estou velha e não enxergo muito bem.
    Deus é uma entidade quase justa, porque ERRA de maneira suficiente, só para que a gente o odeie e acredite nos evangelistas.

Deixe uma resposta