A derradeira pá de cal sobre o BEM-BOM


Ontem foi o último capítulo de uma novela que durou 13 anos, desde o desabamento e sequente desapropriação, pela Prefeitura Municipal de Belém, da área onde estava localizado o solar da Chácara Bem-Bom.
Por mais de uma década a nova construção — que manteve apenas a fachada e dois chafarizes como lembrança — ostentou placas com a inscrição REFORMA do PALACETE FACIÓLA, um equívoco inimaginável à nomenclatura de um lugar que fez parte da história política da Cidade, uma vez que seu proprietário foi senador estadual e último intendente municipal [após a Revolução de 1930, que depôs Eurico Valle (governador) e Antonio Facióla, passou-se a utilizar o termo prefeito].
Lá o atual mandatário da PMB, Duciomar Gomes da Costa, inaugurou ontem o CENTRO DE ESPECIALIDADES MÉDICO-ODONTOLÓGICA DR. JOB VELOSO (SIC) que tem a grife do programa federal BRASIL SORRIDENTE.
De primeiro, ainda na gestão de Edmilson Rodrigues, seria um hospital destinado à saúde mental; depois, com Duciomar na Prefeitura, propagou-se uma clínica de apoio pós-operatório ao Pronto Socorro Municipal com 40 leitos e… nada.
O fato é que a coisa saiu com recursos oportunos da União para subterrar em definitivo até a memória vocabular de um tipo de vivenda peculiar entre o final do século XIX e início do século XX.
A família Facióla mantém lide com a PMB questionando os valores da despropriação: pouco mais de 100 mil Reais à época; mas, para complementar a perda irreversível a Belém, o entorno da casa, que propiciava características de rocinha e título de “paraíso” ao rincão, foi vendido a duas construtoras que ceifaram a farta vegetação para erigir espigões de concreto — daqueles que fazem sombra no mundo e furtam o céu como Zeus.
A Chácara Bem-Bom, conhecida no bairro do Marco da Légua como Casa do Facióla ou simplesmente Facióla, sempre teve a fama de mal-assombrada; o que perdura, pois, no ano passado, após uma ventania que derrubou parte do forro de gesso do segundo pavimento fake — somente a fachada e os dois chafarizes são relativamente originais —, as visagens botaram um vigilante para correr a chorar.
Será que o pessoal da Urgência Odontológica 24h suportará a presença desses fantasmas?
Bem… não custa nada apresentar os espectros aos espectadores:

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, Belém, Curiosidades, Vídeos e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para A derradeira pá de cal sobre o BEM-BOM

  1. Shirley Kátia amazonas de Oliveira disse:

    Que maravilha conhecer um pouco da história deste prédio e das pessoas que por ali conviveram.
    Pra mim estas recordações são muito gratificantes, sinto-me como dentro deste “conto de fadas” real. Este foi e ainda é um lugar mágico, encantador….
    Parabéns à todos que de alguma forma contribuiram para a conservação deste lindo lugar. Que Deus os abençõe sempre!

  2. Edjan Carvalho disse:

    O pessoal anda tirando de letra na urgência.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s