Referências conflituosas sobre fotografias encontradas no Museu do Estado de Pernambuco

O editor do  Fragmentos de Belém, Igor Pacheco, encontrou no site do Museu do Estado de Pernambuco, no álbum de Fotografias Pessoais da coleção fotoetnográfica Carlos Estevão de Oliveira, doze imagens não identificadas que ele reconheceu como do Museu Paraense Emílio Goeldi, em recepção ao então presidente Getúlio Vargas.
Contatamos o arqueólogo e pesquisador do Goeldi, Fernando Luiz Tavares Marques, para obter referências fiáveis sobre o assunto; Fernando, também colaborador do BF como Igor, nos enviou TALENTOS E ATITUDES: Estudos Biográficos do Museu Emílio Goeldi, I.
Na página Nº111 do arquivo, Osvaldo Rodrigues da Cunha, cita a visita de Vargas ao Goeldi, em setembro de 1933:

Ilustrando história 123456789101112

O curioso desta postagem é que a informação da publicação do Goeldi não bate com a referência encontrada por Igor na Hemeroteca Digital Brasileira; lá, na segunda página do jornal Correio Paulistano, de 08 de outubro de 1940, é possível ler uma matéria sob o título O norte do pais  recebeu, com enthusiasmo, o primeiro magistrado da Nação onde as fotografias também se encaixariam, contudo, ilustrando a riqueza dos detalhes da visita de Getúlio Vargas sete anos mais tarde:

Correio Paulistano

Será que o presidente Getúlio Vargas fez duas visitas ao Museu Paraense Emílio Goeldi (em 1933 e 1940) e em ambas plantou árvores?
Possivelmente a chave para resolver essa questão esteja nos jornais paraenses que acompanharam os passos presidenciais em 1933, pois o próprio Correio Paulistano, na terceira coluna da mesma matéria, revela, em reprodução de um discurso de Getúlio, que tal fato fora verídico:

vbn

Então… voltamos a estaca zero, sem saber com exatidão quando as fotos foram batidas.

________________________
Postscriptvm (11/02/2014):

Com o intuito de não deixar esta postagem em aberto publicaremos uma das fotografias que identifica o Interventor Federal (1935 a 1943), José Carneiro da Gama Malcher (com a aparência dos 68 anos de idade que tinha à época, dez a mais que o Ditador),  ladeando, como Carlos Estevão de Oliveira, o Presidente da República (1930 a 1945 e 1951 a 1954), Getúlio Dornelles Vargas, na visita ao Museu Goeldi.
A ausência de Joaquim Cardoso de Magalhães Barata, Interventor Federal no Pará entre 1930 e 1935, na foto, somada a descrição pormenorizada da visita de Vargas ao MPEG feita pelo Correio Paulistano, nos faz crer que as fotografias são de outubro de 1940 e não de setembro de 1933.
Se Getúlio plantou árvores nessas duas visitas que fez ao Museu Goeldi, ou mesmo se percorreu suas dependências no ano de 1933,  é uma questão que ficará em aberto.

unnamed

Postscriptvm (15AGO2016):

As dúvidas aqui levantadas foram esclarecidas na publicação Diário de Notícias também cobre visita de Vargas à Belém em 1940.

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, Fotografia antiga, História, Reprodução de artigos e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s