Redesenhando a Villa Operária Mac Dowell

Desenhando a Villa

Igor Pacheco, editor do Fragmentos de Belém, publicou três fotografias do ano de 1902 estampadas em números distintos da Revista do Norte (números 19, 20 e 21); nelas se pode ver a Estrada de São Brás (hoje Brás de Aguiar), o portal da Villa pela Brás e a dimensão do empreendimento pela Estrada da Constituição (Gentil Bitencourt).
A Villa Operária Mac Dowell, pelo menos até o Balancete de 31 de março de 1897 da AMAZONIA Companhia de Seguros Terrestres e Marítimos, não mudara de nome.
Não sabemos, ainda, se a Amazonia comprou, além das 42 casas da Companhia Constructora Paraense, o terreno contíguo à expansão da Villa dando prosseguimento a novas casas e aos portais.
Percebe-se, in situ, que as residências internas tem tipologias diversas: são menores e mais baixas, mas se harmonizam pelos relevos aplicados às fachadas ou pelas ferragens de adorno e função:

volumes

As fachadas da esquina da passagem Rio Branco com a Doutor Moraes e casas da passagem Cinco de Abril.

Brás
Lojas da Brás de Aguiar, entre a passagem Mac Dowell e a travessa Doutor Moraes, revelam suas origens nas moradias da mais que centenária Villa Operária.

peinéis
O mesmo painel circular de ferro que servia à ventilação dos porões das casas mais altas era utilizado acima das janelas nas residências baixas.

Observamos aos leitores que estamos em fase especulativa diante dos dados que possuímos; portando: é impossível afirmar onde iniciou e parou a obra da Constructora de Antonio Lemos e sócios, bem como o que a AMAZONIA lá implementou depois de 1896.


As três fotos da Revista do Norte:

AA
AA1
AA2
As imagens de 1902 — seis anos após a Villa Operária Mac Dowell ser adquirida pela AMAZONIA Companhia de Seguros Terrestres e Marítimos — apresentam as seguintes legendas, segundo Igor Pacheco:  “Villa Garantia da Amazonia. Lado Oriental. Propriedade de Garantia da Amazonia”;  “Villa Garantia da Amazonia. Lado Occidental. Propriedade de Garantia da Amazonia”;  “Villa Garantia da Amazonia. Avenida Central”.


Postscriptvm:

AS GA (2)

A questão levantada por Igor Pacheco parece não se aplicar à compra da Companhia Construtora Paraense, esta pela AMAZONIA Companhia de Seguros Terrestres e Marítimos; a sociedade Garantia da Amazônia e a Amazonia Companhia de Seguros coexistiam em 1899.
Alguma fusão pode ter concorrido ao rebatizado da Villa Mac Dowell para Villa Garantia da Amazonia como publicou a Revista do Norte; entretanto: há documento aqui publicado que a contradiz.
As escrituras públicas dessas residências podem esclarecer a origem das propriedades.

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, Fotografia antiga, Memória e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Redesenhando a Villa Operária Mac Dowell

  1. Paulo Andrade disse:

    Frequentei muito essas “vilas’ nos anos 1960, onde moravam amigos da família Neiva, Hilton Menezes e outras. Nesse tempo, já havia casas como estão hoje, com pequeno afastamento para jardim e mureta de alvenaria com arremate em grade de ferro. Não sei se essa tipologia foi construída em outra etapa, e em localidade expandida daquela mostrada nas fotos, da qual ainda existem resquícios. Trabalho interessante HB.

Deixe uma resposta para Paulo Andrade Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s