Fragmentos devem mudar o desenho do Farol Velho do Atalaia

Fragmentos coletados na praia do Farol Velho do Atalaia em Salinas provocam nova percepção sobre a construção inaugurada em 1852 e parecem confirmar o revestimento em tijolos vidrados já citados em relatório

As imagens acima mostram placas quadradas de 13,75 centímetros de lado com espessura de 0,9 cm; tal material foi encontrado nas cercanias do grande maciço de pedras de cantaria agregadas presente na praia do Farol Velho em Salinas, marco do lugar.
Um dos fragmentos, depois de lavado, revela vestígios da provável pigmentação branca dessas placas cerâmicas que revestiam externamente o primeiro farol das Salinas inaugurado em 1852 que ficou em funcionamento até 1916 quando substituído por outro mais alto em torre metálica erigida pelo sistema criado pelo engenheiro civil irlandês Alexander Mitchell.
Os fragmentos coletados serão analisados pelo Laboratório de Tecnologia das Construções (LABTEC) e o resultado dos exames serão aqui publicados.

Possível aparência dos tijolos vidrados quando novos
Ponto de coleta

Sobre o Projeto Laboratório Virtual - FAU ITEC UFPA

Ações integradas de ensino, pesquisa e extensão da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará - em atividade desde maio de 2010. Prêmio Prática Inovadora em Gestão Universitária da UFPA em 2012. Coordenação: professor Haroldo Baleixe.
Esta entrada foi publicada em Pesquisa e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

1 respostas para Fragmentos devem mudar o desenho do Farol Velho do Atalaia

  1. No jornal “O Observador”, do Maranhão, nº 147, de 1º de junho de 1850, folha 3, encontramos a seguinte nota sobre o farol de Salinas, a qual reproduzimos com atualização ortográfica:

    – Segundo notícias ultimamente recebidas da França, o aparelho do farol das salinas ficará pronto para o fim de mês de junho, e deverá aqui chegar em julho ou agosto do corrente ano. A torre da Atalaia já está concluída, semente se espera que chegue de Lisboa um resto de azulejo branco que para ali se encomendou, a fim de com ele se fazer o reverbero exterior da torre. Atualmente estão se construíndo as casas para os guardas, para depósitos, e outras dependências, e acessórios próprios para o serviço do farol.

    (Treze de Maio, de 4 de maio)

Deixe uma resposta