Onde está, Wally?

Recebemos por e-mail algumas considerações ao que chamamos de “11 FAU”, ou a marquinha inocente que sinaliza a virada à segunda década do século XXI.
Internautas viram gravatinhas borboletas, lacinhos de cabelo, origâmis, bailarinas de cancã, Don Quixote (com Rocinante e Sancho Pança), peças de cerâmica pré-colombiana, ampulhetas, esquadros, lápis, réguas “T’s”, projeções ortogonais, planos urbanos, casinhas (incluindo as de cachorro), telhados, fachadas, cortes, plantas baixas, etc.
Então, chamamos o Wally para fazer as vezes de pedagogo — etimologicamente condutor de criancinhas — e apresentar o tal do ONZE.

Sobre o Projeto Laboratório Virtual - FAU ITEC UFPA

Ações integradas de ensino, pesquisa e extensão da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará - em atividade desde maio de 2010. Prêmio Prática Inovadora em Gestão Universitária da UFPA em 2012. Coordenação: professor Haroldo Baleixe.
Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas para Onde está, Wally?

  1. Lou Ferry disse:

    HAAAAAAAAAAAAAAAA, agora tudo se explica!
    “Valeu Wally”! rs
    OBS: Achei que só eu não tinha entendido e tava me achando A BURRA, então fiquei calada na minha né?
    HEHEHHAHAHAHAAHA

  2. Zâmara Lima disse:

    Desenterrou o Wally hein professor??!!! kkkkkkkkk
    Olha… o “11” eu consegui ver, o problema é o que segue… seria um “1 de costas”?

    • fauitec disse:

      Zâmara:
      É isso aí: “seria um ’1 de costas’”, ou espelhado, ou rebatido; tanto faz.
      A intenção era fazer da simetria uma assimetria, suprimindo o outro um (rebatido) para deslocar o eixo à direita.
      Já no “’11’ clean” conseguimos uma simetria de translação que cumpriu o propósito anterior.
      A simetria só é careta quando a gente quer.

Deixe uma resposta