Categorias
Artes Plásticas

A casa das tias, 1984, Emmanuel Nassar

Categorias
Fotografia antiga

Rara panorâmica de Belém: Grande Hotel e Reservatório Paes de Carvalho


Imagem da coleção José Maria de Castro Abreu Júnior.

Categorias
Fotografia antiga

Início da década de 1970: o Terminal e o Carrinho da Gelar



Numa época em que a ausência de árvores parecia sinônimo do progresso da Ditadura Militar, nada como um sorvete Gelar para amenizar o calor.
Gebol, gelote, sorvete de frutas, bolo sorvete, larajinha, etc…
Viajar de ônibus também tinha lá o seu glamour.
Na primeira entrada à direita existia uma loja de souvenirs onde cartões postais EDICARD eram expostos para escolha e compra; assim também o era no velho aeroporto:

Fonte da foto com ônibus e carrinho Gelar: ONIBUSEIRO.

Categorias
Fotografia antiga

Praça do Pescador na década de 1970

Categorias
Fotografia antiga

Sede campestre da Tuna Luso Brasileira na década de 1970

corel611

Categorias
Fotografia antiga Vídeos

Avenida Almirante Barroso entre as décadas de 1960 e 70

No vídeo abaixo, entre 6:52 e 10:26, é possível assistir à inauguração de nova iluminação na avenida Almirante Barroso, ainda no governo de Aurélio do Carmo, com outra configuração – sem o canteiro central, postes e árvores recém-plantadas -, distinta  das fotos acima:
FAU

Fotografia feita a partir do vídeo.

Outra imagem da avenida Almirante Barroso, com o canteiro central e árvores recém-plantadas; nela se vê um pedestal pastilhado com o busto do presidente da república, Juscelino Kubitschek de Oliveira (1956-1961), e uma placa de inauguração da “iluminação pública” com pouca definição à leitura.
A questão diante da iconografia é: quando o monumento foi construído e quando foi demolido? Pois isto suscita as relações políticas pré e pós Golpe Militar de 1964.
Em 1965, com o fim da Estrada de Ferro de Bragança, os automóveis não mais convivem com o trem, como acontecia no período de Aurélio do Carmo no governo e Moura Carvalho na prefeitura.
As fotografias coloridas desta postagem mostram a vizinhança da antiga Escola de Arquitetura da UFPA, instalada em 1964, onde hoje funciona o clube Monte Líbano.

Segundo o nosso editor chefe, Jaime Bibas, o busto de Juscelino foi encontrado em uma garagem/depósito nos fundos da Casa do Governador por ocasião das obras de remontagem da Estação Gasômetro no final dos anos 1990.
Na memória de Bibas tal peça foi entregue à SEURB, Secretaria Municipal de Urbanismo, da Prefeitura Municipal de Belém; apear desse marco ter sido erigido pelo “Governo do Pará”.
Há desconfiança que o busto seja de autoria do escultor João Pinto.
Essas informações estão em fase de checagem para um novo post do BF.

(Para consultar referências sobre esta fotografia, siga o hiperlik ao Blog HB.)


Postscriptvm (em 21/10/2014):

JK1963

Fonte da foto: Pelas ruas de Belém.

Uma nova imagem, que possibilita a leitura da placa sob o busto de Juscelino Kubitschek de Oliveira (Presidente do Brasil entre 1956-1961), mostra-nos o inusitado: a homenagem é “PROVA DO DESVELO DO GOV. AURÉLIO DO CARMO AO POVO DO PARÁ” (sic).
O ano é 1963 e não 1959 como supomos na difícil leitura da fotografia anterior; entretanto, acreditamos que o ano de 1957 fora marcado pela mudança da nomenclatura da via: de avenida Tito Franco para Almirante Barroso.
Diante de documentos que possam dirimir dúvidas faremos nova postagem que demarque a datação e as circunstâncias dessa permuta ainda confusa de nomenclaturas.

Com colaboração da bibliotecária Regina Vitória da Fonseca.

Categorias
Fotografia antiga

A Praça Kennedy na década de 1960: círculos para aeromodelismo com cabo


A enxuta Praça Kennedy era um espaço de lazer dos anos 1960; quando por ela se passava, nos domingos ou feriados, escutava-se o ronco dos motores movidos à mamona que equipavam os aeromodelos.
A rapaziada ocupava os círculos para a prática do esporte.
O controle dos aviões se dava por meio de um fio que os conduzia em trajetória igualmente circular.
Hoje, no local, temos a Praça Waldemar Henrique.