Situação e locação aproximadas do Hospital Domingos Freire

agm

Informações sobre a escritura do terreno do Hospital Domingos Freire publicadas no site Flanar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Levantamento aerofotográfico da área com a construção do Hospital Barros Barreto convivendo com o Hospital Domingos Freire; datação imprecisa, entre os anos 1950 e 1960 ‒ imagem pertencente ao acervo do pesquisador e colaborador do BF, professor José Maria de Castro Abreu Júnior.

HBB hoje

Marcação aproximada do terreno do Domingos Freire e a locação da edificação antiga desaparecida em 1964; no local hoje existe o conjunto habitacional Alacid Nunes, na rua dos Mundurucus no sentido Barão de Mamoré/Guerra Passos.

HDF2

Vista ampla da área do mapa atual para melhor compreensão da situação e orientação do Hospital Domingos Freire, junto à superposição da aerofotografia do professor Zé Maria.

pb2

O professor Fabiano Homobono, em resposta ao questionamento do médico Aristóteles Guilliod de Miranda, lembra que tanto a Pariquis quanto a Caripunas transpassavam a área do Cemitério de Santa Isabel, o que pode ser comprovado no mapa publicado em 1899 (MDCCCXCIX AMAZONIA ARTHUR CACCAVONI), ano anterior à inauguração do Hospital Domingos Freire, em “fins de abril de 1900”, segundo o texto de José Maria de Castro Abreu Júnior, publicado no post anterior.

Este trabalho revela parte de uma pesquisa realizada pelo Laboratório de Historiografia e Cultura Arquitetônica, coordenado pela professora Celma Chaves Pont Vidal.

.

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, História da Arquitetura, Pesquisa e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Situação e locação aproximadas do Hospital Domingos Freire

  1. Rose Norat disse:

    Ótimas referências Haroldo e Fabiano.
    No livro “Entre dois tempos: um estudo sobre o bairro do Guamá, a Escola Frei Daniel e seu Patrono” (2002) do historiador José Messiano Trindade Ramos, observa-se que até o final da década de 1930, além do Domingos Freire, havia o centenário Hospício dos Lázaros do Tucunduba (1815-1938) que isolava indivíduos acometidos pela hanseníase, existiam mais três hospitais de isolamento e os hospitais São Sebastião e São Roque (que se transformaram no atual Barros Barreto).
    Muitas histórias a rememorar.

    • fauitec disse:

      Rose:
      O Hospital São Roque aparece na primeira foto, no quadrante inferior esquerdo; o professor José Maria de Castro Abreu Júnior explica que “O Hospital São Sebastião, vulgo Asilo das Madalenas, era de madeira e já havia sido demolido nestas alturas, este eu não tenho ideia exata do local.”.
      Ok?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s