Situação e locação aproximadas do Hospital Domingos Freire

agm

Informações sobre a escritura do terreno do Hospital Domingos Freire publicadas no site Flanar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Levantamento aerofotográfico da área com a construção do Hospital Barros Barreto convivendo com o Hospital Domingos Freire; datação imprecisa, entre os anos 1950 e 1960 ‒ imagem pertencente ao acervo do pesquisador e colaborador do BF, professor José Maria de Castro Abreu Júnior.

HBB hoje

Marcação aproximada do terreno do Domingos Freire e a locação da edificação antiga desaparecida em 1964; no local hoje existe o conjunto habitacional Alacid Nunes, na rua dos Mundurucus no sentido Barão de Mamoré/Guerra Passos.

HDF2

Vista ampla da área do mapa atual para melhor compreensão da situação e orientação do Hospital Domingos Freire, junto à superposição da aerofotografia do professor Zé Maria.

pb2

O professor Fabiano Homobono, em resposta ao questionamento do médico Aristóteles Guilliod de Miranda, lembra que tanto a Pariquis quanto a Caripunas transpassavam a área do Cemitério de Santa Isabel, o que pode ser comprovado no mapa publicado em 1899 (MDCCCXCIX AMAZONIA ARTHUR CACCAVONI), ano anterior à inauguração do Hospital Domingos Freire, em “fins de abril de 1900”, segundo o texto de José Maria de Castro Abreu Júnior, publicado no post anterior.

Este trabalho revela parte de uma pesquisa realizada pelo Laboratório de Historiografia e Cultura Arquitetônica, coordenado pela professora Celma Chaves Pont Vidal.

.

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, História da Arquitetura, Pesquisa e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Situação e locação aproximadas do Hospital Domingos Freire

  1. Rose Norat disse:

    Ótimas referências Haroldo e Fabiano.
    No livro “Entre dois tempos: um estudo sobre o bairro do Guamá, a Escola Frei Daniel e seu Patrono” (2002) do historiador José Messiano Trindade Ramos, observa-se que até o final da década de 1930, além do Domingos Freire, havia o centenário Hospício dos Lázaros do Tucunduba (1815-1938) que isolava indivíduos acometidos pela hanseníase, existiam mais três hospitais de isolamento e os hospitais São Sebastião e São Roque (que se transformaram no atual Barros Barreto).
    Muitas histórias a rememorar.

    • fauitec disse:

      Rose:
      O Hospital São Roque aparece na primeira foto, no quadrante inferior esquerdo; o professor José Maria de Castro Abreu Júnior explica que “O Hospital São Sebastião, vulgo Asilo das Madalenas, era de madeira e já havia sido demolido nestas alturas, este eu não tenho ideia exata do local.”.
      Ok?

Deixe uma resposta para Rose Norat Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s