O Complexo Fábrica de Cerveja Paraense

fcp-01-e-02

Postais ampliáveis

Os postais acima aparentam ser da mesma época – note-se o kiosque em ambos –, não possuem datação*, mas dão à vista o conjunto da Fábrica de Cerveja Paraense composto, na sequencia da numeração da via, pelo Theatro Bar Paraense (4), pelo gradil da Fábrica com dois portões para carros (3), o Bar Pilsen (2) e o Theatro Popular (1).
Esse complexo fabril e comercial foi posto à venda depois de decretada, em 12 de abril de 1940, sua penhora por ação judicial do Banco do Pará.
Anúncio da venda publicado em jornal da capital da República no mês de  junho de 1940:

jornal-do-commercio-09jun1940

Ampliável

O cruzamento das informações acima permitiu um esboço da localização dos prédios em questão na extensão da Avenida da Independência:

conjunto-perspectiva-fcp-2

A perspectiva (ampliável) será necessária às publicações futuras e a ela se recorrerá como referência do que fora (supostamente Circo Olympico/Jardim Mithologico) e do que seria o lugar (Jardim Independência).

*O selo de 50 Réis com a efígie de Alvares Cabral, segundo sites filatelistas, faz parte da coleção Alegorias e Próceres da República; o carimbo de postagem sugere o ano de 1911, mas o selo circulou entre 1906 e 1917 – há possibilidade das fotografias serem de 1910 no final da intendência de Antonio José de Lemos (1897-1911).


Postscriptvm:

s-l1600-2

Postal do mesmo período revela o que se via a partir do portão de autos da Companhia de Cerveja Paraense.

Sobre fauitecufpa

Projeto de ensino, pesquisa e extensão da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Instituto de Tecnologia da Universidade Federal do Pará - em atividade desde maio de 2010
Esta entrada foi publicada em Arquitetura e Urbanismo, Fotografia antiga, História, Memória e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta