Alberto Engelhard e a multiplicação dos CLIPPERS

O LIBERAL, “Órgão do Partido Social Democrático (Secção do Pará)”, jornal fundado em 1946, em seu número 164 de 2 de junho de 1947, uma Edição Especial de 32 páginas dedicada ao aniversário natalício de seu dono e presidente do P.S.D., Magalhães Barata, traz em seu conteúdo o relatório do deputado Alberto Engelhard quando prefeito de Belém durante os anos de 1943, 1944 e 1945.
Os feitos pretéritos de Engelhard, que reassumira a Prefeitura Municipal de Belém em 09 de maio de 1947, menos de um mês antes dessa Publicação Especial, mesmo que enaltecidos pelo tabloide político de seu partido, elucidam muitas questões sobre a investigação dos CLIPPERS, nomeados no documento como ABRIGOS.
As páginas, aqui apresentadas e restritas ao assunto, provocarão revisão nas datações de algumas fotografias utilizadas no BF sem que as postagens sejam suprimidas, os avisos serão dados por postscriptvm.
Abaixo do quadro do Scribd, que contém o PDF à leitura dentro da matéria, daremos alguns destaques à discussão; ao final da postagem deixaremos o arquivo para download direto do BF.

Fonte documental: Hemeroteca Digital Brasileira (FBN).

R03

Imagem ampliável à leitura

O relatório de Alberto Engelhard não nos convenceu que o Clipper;  aqui mostrado em fotografias, sem datação ou autoria,  comparativas de sua ausência e presença; fora construído em sua gestão como prefeito nos anos de 1943, 1944 e 1945.
Acreditamos que o termo CONSTRUÇÃO, usado por Engelhard, se refira a um rebatimento para duplicação do espaço coberto obedecendo o mesmo gabarito tipológico do que aqui se vê.
Cremos que esse Clipper, autointitulado e tratado pelos jornais como Nº1, seja um projeto anterior à virada da década de 193o para 1940 que, proliferada a ideia, levou o termo CLIPPER às demais construções com o propósito de abrigar pessoas, já passageiras de ônibus,  e prestar-lhes serviços básicos como nos quiosques concedidos à exploração comercial de Francisco Bolonha nos tempos do Intendente Antonio Lemos.

R01

Imagem ampliável à leitura

O relatório dá como concluídos quatro abrigos para passageiros de ônibus, sendo que o “… abrigo na Avenida Portugal, em frente à Praça do relógio… ” nos parece a duplicação, em rebatimento, de um abrigo para bondes já existente no local, o Clipper nº1.

R02

Imagem ampliável à leitura

Algumas  promessas políticas de Engelhard parecem não cumpridas em seu mandato, mas na gestão de outros prefeitos.
No caso das obras no Largo das Mercês, como a fotografia não possui datação, podem ou não ter sido levadas a cabo em sua administração.

Arquivo do Blog da FAU para downloadRelatório Alberto Engelhard (1943, 44 e 45)

Postagem com efetiva colaboração
investigativa de Igor Pacheco e Regina Vitória Fonseca.


Esta pesquisa tem dois anos, já que  iniciou,  efetivamente, a partir da postagem CLIPPER da Castilhos França em 1965  (20 de maio de 2012), na busca de argumentos que amparassem a resposta dada pelos editores ao comentário do professor José Júlio Lima.
Cronologicamente surgiu no dia 16 com a Praça do Relógio na década de 1960.
É óbvio que não se chegou a uma conclusão definitiva, cabal; mas, pelo revelado nesses últimos dias, há grandes possibilidades de êxito, tanto para comprovações, quanto à aparição de novas hipóteses que entretenham, sem que haja necessidade de correr do horrível monstro, o velho bicho prazo acadêmico; afinal: este espaço é a antítese da formalidade, coisa de urubu do Ver-o-Peso, coisa do marginal LAFORA.


Postscriptvm (o1/11/2014):
Acompanhe a evolução da pesquisa pelo SUMÁRIO que dá acesso às postagens sobre CLIPPERS até 24/10/2014.
Algumas informação contidas nesta postagem podem ter caído por terra em consequência da aparição de novos registros documentais.
Não fazemos nenhuma reparação nos textos originais, apenas colocamos esta nota ao final das publicações cobertas pelo período do resumo.
Aprendamos com os nossos erros.

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, Fotografia, Fotografia antiga e marcado , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Alberto Engelhard e a multiplicação dos CLIPPERS

  1. F A N T A S T I C !

  2. Antenor disse:

    Excelente essa matéria, muito boa a pesquisa histórica, “dois anos” de pesquisa?.
    Isso devia virar um livro porque eu já tinha ouvido falar muito desses cliper mas não tinha ideia do que era ou como eram parecidos com aviões anfíbios.
    Sou castrado aqui e recebo tudo por email e possuem varios posts sobre eles, muito legal e importante para os estudantes de arquitetura e urbanismo.

  3. Amigo Baleixe
    Parabéns por essa bela matéria sobre os Clippers de Belém.
    Esperei muito ônibus em alguns deles.
    Abraço amigo do
    JMFBassalo

    • fauitec disse:

      Obrigado Professor Bassalo, mas aproveite e conte pra gente algumas histórias curiosas ocorridas nessas paradas.
      O senhor sabe que o seu site é referência às postagens do BF; aliás, o senhor é uma referência, das melhores que Belém possui.
      Abraço,
      Haroldo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s