Ver-o-peso — o quebra-cabeças vizinho nos anos 1930


A cada dia que passa a Internet armazena novas imagens de Belém do Pará, o que é fascinante aos olhos de todos; contudo, a falta de referências — ou referências erradas como no caso do IBGE e do Instituto Moreira Salles — confunde a cabeça de qualquer internauta.
Catamos algumas fotografias do Ver-o-peso e sua cercania, tentando dar a elas uma ordenação cronológica desde quando a Praça do Relógio não existia até o final dos anos 1940, momento em que as palmeiras já se encontram taludas.
Na fotografia da coleção Allen Morrison a praça pensada pelo intendente Antonio Facióla, mas inaugurada por Magalhães Barata em 1931, aparece asséptica, com calçamento decorado por ondas e  quatro postes de ferro fundido em seus cantos — a cobertura de um quiosque surge à vista, vizinha, mais próxima ao porto.
Mal crescem as árvores multiplicam-se os postes (é óbvio que iluminar o espaço público fora uma necessidade).
Verifica-se, ainda no pouco desenvolver das palmeiras, que o calçamento contínuo é substituído pelo “dentado” para possibilitar que os coletivos estacionem ao redor da praça.
Antes de criar o estacionamento oblíquo para os ônibus, outra demanda premente fora suprida: o combustível; daí não ser estranho enxergar um pequeno posto fronteiriço à praça Siqueira Campos (ou do Relógio) e com ele as PARADAS de ônibus que se dispõem rapidamente, e de modo estratégico, no centro nevrálgico da Cidade.
Isto sugere que a indústria automobilística empurrara o bonde ladeira abaixo até 1947.


Postscriptvm (o1/11/2014):
Acompanhe a evolução da pesquisa pelo SUMÁRIO que dá acesso às postagens sobre CLIPPERS até 24/10/2014.
Algumas informação contidas nesta postagem podem ter caído por terra em consequência da aparição de novos registros documentais.
Não fazemos nenhuma reparação nos textos originais, apenas colocamos esta nota ao final das publicações cobertas pelo período do resumo.
Aprendamos com os nossos erros.

Esse post foi publicado em Arquitetura e Urbanismo, Fotografia, Fotografia antiga e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Ver-o-peso — o quebra-cabeças vizinho nos anos 1930

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s